Autismo em sala de aula: conheça as melhores formas de aprendizado

É na sala de aula que os alunos passam boa parte do seu dia. Tendo isso em vista é necessário que a comunicação ocorra com facilidade. É essencial para que as relações sociais se estabeleçam e o aprendizado possa ser introduzido na vida do aluno com autismo de forma eficiente.

Em busca de exemplificar e principalmente auxiliar você educador, que trabalha com autistas, segue algumas dicas que podem ajudar na comunicação e na didática com as crianças:

Seja um profissional paciente em sala de aula

Pessoas com autismo processam as informações de forma diferente. Por isso, a importância de entender a sua própria dinâmica e a melhor maneira de ensinar. A paciência é chave nesse aspecto. Você deve estar atento sobre as necessidades e dificuldades daquela criança e ter disponibilidade para explicar conceitos e tirar dúvidas.

Não poupe na utilização de recursos visuais

Imagens geralmente são muito aceitas por pessoas com TEA. Sabendo disso, você pode trazer para a aula esses recursos. No geral, crianças preferem imagens para conseguir captar ideias e entender os conteúdos. Isso porque as imagens conseguem prender a atenção delas, despertar a curiosidade e aguçar a criatividade.

Fuja do sentido figurado

Pessoas com autismo tendem a sentir dificuldade com frases figuradas, isso pode confundir a criança. Geralmente ela não entende tais complicações e sentido figurado em frases como “morrer de frio”, “cair do cavalo”, “derreter de calor”, dentre outras frases muito utilizadas no dia a dia.

Utilize frases curtas e mais objetivas

Sem enrolação e direto ao ponto. Dessa forma que deve ser as explicações para o aluno autista em sala de aula, sem rodeios e quanto mais direta a informação, melhor. Isso porque o ensino para autistas depende muito da maneira que os educadores buscam se comunicar e frases mais curtas tornam-se mais eficazes para a compreensão da criança diante de alguma explicação.

Promova o bem-estar em sala de aula

Muitas vezes não é fácil estimular um ambiente convidativo e que faça bem para todos os alunos. Educadores que não têm muito conhecimento e não possuem ainda tanta proximidade com ensino para autistas podem buscar uma especialização na área do Autismo que ofereça a ele subsídios para atuar de forma qualificada em sala de aula.

O ideal é que os pequenos encontrem no ambiente escolar um local onde possam se aventurar no aprendizado. É importante que educadores despertem sua atenção, apliquem conhecimentos e que façam com que os alunos sintam prazer de estar ali.

E aí, gostou desse conteúdo? Você enfrenta dificuldades para trabalhar com alunos autistas? Compartilhe conosco!

Comentários