Como a série The Chosen abraçou a causa Autista

Nicole Utzig Mattjie

“The Chosen” é a série cristã mais aclamada pela crítica. Além disso, a série é o maior projeto de mídia com financiamento coletivo da história, sem apoio de nenhum estúdio de Hollywood. No entanto, outro fato interessante é como a série The Chosen abraçou a causa Autista. Vamos conferir?

100% de aprovação do público

Lançada em 2019, a produção que conta com 100% de aprovação do Rotten Tomatoes e tem sua primeira temporada disponível na Netflix.

Você sabia? O Rotten Tomatoes é um site de críticas de filmes e séries de TV muito famoso na internet.Nele o público avalia as produções com “tomates frescos” paraos filmes que gostou e “tomates podres” para os que não gostaram tanto.

Mas por que The Chosen agradou tanto o público?

A série foi criada, dirigida e co-escrita por Dallas Jenkins e é a primeira série com várias temporadas sobre a vida de Jesus Cristo. Segundo Jenkins, ele queria criar uma série sobre Jesus que pudesse ser “maratonada”.

Além disso, outra diferença marcante da produção é modo pessoal como Jesus é retratado, de uma forma mais íntima e pessoal, pelos olhos daqueles que o conheceram.

Financiamento coletivo

The Chosen foi o financiamento mais bem-sucedido na história do “crowdfunding” na história do entretenimento. Se você ainda não sabe, “crowdfunding” é uma forma financiamento coletivo realizado na internet, também conhecido como vaquinha online.

Assim, a obra foi lançada em 2019 e produzida graças a uma campanha de crowdfunding que arrecadou mais de 10 milhões de dólares de cerca de 19 mil investidores.

Além disso, é possível assistir The Chosen gratuitamente pelo aplicativo próprio e atualmente a primeira temporada também está disponível na Netflix.

Como a série The Chosen abraçou a causa Autista

Em primeiro lugar, a série The Chosen retrata o ministério de Jesus sob a perspectiva de vários personagens. Ao invés de apenas “traduzir visualmente” os Evangelhos como muitos filmes anteriores, The Chosen acrescenta uma humanidade tão profunda a Jesus, seus discípulos e outros personagens que mesmo se você não estiver interessado em “conteúdo religioso”, será impactado. A série alcança com maestria o verdadeiro propósito da Bíblia: focar no relacionamento entre Deus e o homem.

Jesus é retratado como um homem amigável e bem-humorado que consegue transmitir uma mensagem séria e profunda. A fidelidade de Cristo é tão alta que parece até que viajaram no tempo para gravar a série.

Contudo, outro fato surpreendente da série é como The Chosen abraçou a causa autista.

Mateus: o discípulo autista

Você sabia? O personagem Mateus, interpretado pelo ator Paras Patel, discípulo de Jesus e ex-cobrador de impostos é autista.

Em uma entrevista a equipe de produção de The Chosen explicou por que o personagem de Mateus é retratado como autista na série. De acordo com eles, a ideia veio do criador, diretor e roteirista da série, Dallas Jenkins. Isso porque, ele tem uma forte conexão pessoal e familiar com o espectro autista, pois sua filha é autista e ele estuda muito sobre o assunto.

Dallas Jenkins, criador, diretor e roteirista de The Chosen

Assim, observando o evangelho de Mateus, Jenkins percebeu que o discípulo é mais detalhista do que os outros, quase chegando à meticulosidade. Por isso, eles acharam importante mostrar como as pessoas com diferenças ou consideradas “frágeis” pela sociedade seriam exatamente o tipo de pessoa que Jesus procuraria.

Além disso, em um vídeo no canal oficial de The Chosen no Youtube, intitulado “As Lutas desta Garota a levaram a um lindo momento de The Chosen”, Dallas fala sobre a questão do autismo. Ele menciona que é possível que Mateus tivesse síndrome de Asperger, um espectro do autismo, e que ele tem experiência pessoal com isso em sua família, incluindo sua filha.

Por outro lado, de acordo com um artigo da Dove.org, Dallas Jenkins também está no espectro do autismo e passou anos estudando o cérebro, a psicologia e as questões comportamentais para melhor compreendê-las e se tornar um líder melhor.

Assim, ao retratar Mateus como autista em The Chosen, a série permite que o público veja como o espectro pode ser tanto uma fraqueza quanto uma força. Para Dallas, que vive essa realidade em sua própria vida e em sua família, essa escolha narrativa é um reflexo de sua experiência e um esforço para promover a compreensão e aceitação da diversidade humana.

Algumas características do personagem Mateus em The Chosen:

– Bom com números e cálculos;

– Organizado;

– Responde diretamente sem medo das consequências;

– Apresenta dificuldades de interagir socialmente;

– Não sabe expressar seus sentimentos.

A série The Chosen, com três temporadas até o momento, já foi vista por mais de 400 milhões de pessoas. Além disso, ela não só retrata a vida de Jesus e seus discípulos, mas também conscientiza sobre o autismo e a diversidade do comportamento humano. A inclusão da temática autista, bem como de outras questões importantes, demonstra o compromisso da série em criar uma história rica e inclusiva.

Que tal aprender mais sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA)? Clique aqui para saber mais.

Comentários

Open chat