Intérprete de Libras x Intérprete Educacional

Você já se perguntou qual a diferença entre o intérprete de libras e o intérprete educacional?

Bem, os dois fazem um trabalho semelhante, porque interpretam a Libras para o português e vice e versa. Entretanto, o intérprete educacional atua no ambiente escolar e para tanto, deve estar apto para lidar com os diferentes desafios apresentados em sala de aula.

O intérprete de sinais advém de diferentes contextos históricos, alguns, por exemplo, tinham familiares surdos, outros aprenderam Libras dentro de comunidades religiosas e assim iniciaram seus trabalhos no âmbito escolar e nele permaneceram.

A busca pelo profissional intérprete de Libras tem crescido exponencialmente e a educação é a área com maior procura de profissionais no Brasil! Inclusive, essa demanda por intérpretes, no contexto escolar, tem sido observada também em outros países.

Um intérprete de sinais pode atuar em diversas situações e locais, como em centros culturais, instituições públicas e privadas, bancos, hotéis, igrejas, emissoras e estúdios de televisão, indústria e comércio, área da saúde, enfim.

Enquanto que o intérprete educacional atua no contexto escolar, como uma ponte, um mediador entre o aluno surdo e o professor e entre o aluno surdo e os colegas ouvintes.

Mas como surgiu a necessidade do intérprete educacional?

Então, no momento em que os surdos começaram a frequentar as salas de aula, nasce o seguinte questionamento: como os surdos irão aprender os conteúdos? Que profissional poderia ajudar nessa intermediação? Assim, esses antes intérpretes religiosos e familiares começaram a interpretar nas escolas.

De acordo com o livro: “Intérpretes Educacionais de Libras – orientações para a prática profissional”, do Estado de Santa Catarina, muitas vezes o intérprete educacional se questiona quanto a sua função: devo cuidar dos alunos quando não há professor regente? Se eu sei que o aluno surdo não está entendendo, e sei uma forma melhor de ensinar, devo fazer mesmo assim? Sendo a inclusão algo que eu, como intérprete, não acredito, se o aluno não entender o conteúdo, devo ajudá-lo na prova? Devo preocupar-me em dar uma avaliação final do desenvolvimento do aluno nos conteúdos disciplinares?

Por ser uma profissão ainda recente é comum que hajam muitos questionamentos desse tipo e é por isso que somente através da capacitação profissional adequada é possível ter o sucesso almejado na área!

Intérprete Educacional, uma ponte entre o aluno e o professor

Por isso, diferentemente do intérprete de sinais “normal” o intérprete educacional precisa entender de pedagogia, pois isso facilitará o processo de aprendizagem! Além disso, ele também precisa entender a organização escolar do local em que trabalha e ter um bom relacionamento com o professor, trabalhando em parceria, num regime de co-docência!

Você quer ser intérprete educacional? Não perca tempo, conheça o nosso curso:

Capacitação em Tradução e Interpretação de Libras no Contexto Educacional:

Primeiramente, o curso irá abordar a íntima relação que se estabelece entre o profissional tradutor e intérprete da Libras no contexto educacional. Ademais, também será abordada a construção da aprendizagem do aluno, o que ainda se constitui em fator de muito debate e, por vezes, alvo de controvérsias e dilemas.

Gostou? Então não perca essa chance! Acesse nosso curso aqui.

Leia mais: 5 boas razões para você aprender Libras

Comentários