Você conhece a Surdolimpíadas? E sabia que em 2022 o evento acontece no Brasil?

Guilherme

Embora muita gente não conheça, os jogos olímpicos destinados aos atletas surdos, a Surdolimpíadas, é um dos eventos mais antigos no calendário esportivo mundial.

A primeira edição ocorreu em 1924, e foi sediada em Paris, na França. Desde então, já foram realizadas 23 edições das olimpíadas que reúnem atletas surdos de todo o mundo.

A 24ª edição vai acontecer no Brasil, mais precisamente na cidade gaúcha de Caxias do Sul. Esta será a primeira vez que a Surdolimpíada acontece na América Latina. A competição estava prevista para ocorrer em 2021, mas foi adiada por conta da pandemia do Covid-19.

Com o adiamento, a competição está prevista para acontecer entre 1º e 15 de maio de 2022.

Ao todo, estão previstos cerca de 4000 atletas, de mais de 100 países, para as disputas em 25 modalidades esportivas, como atletismo, basquete, vôlei, futebol, tênis, handebol, ciclismo, judô e karatê.

Até mesmo algumas modalidades não tão comuns aqui no Brasil, mas que são super tradicionais no meio esportivo fazem parte da Surdolimpíadas. São os casos de badminton, orientação e luta greco-romana.

Agora uma curiosidade histórica: sabia que a Surdolímpiadas é o evento multiesportivo mais antigo do mundo depois dos Jogos Olímpicos?

A organização fica por conta do Comitê Internacional de Esportes para Surdos (ICSD).

Na última edição do evento, que aconteceu na Turquia, os atletas surdolímpicos brasileiros conquistaram 5 medalhas, com destaque para o nadador Guilherme Maia Kabbach, que faturou o ouro na prova de 200 metros e o bronze nos 100 metros, ambos no nado livre. 

No quadro geral de medalhas, o Brasil ficou com a 28ª colocação.

Mascote da Surdolimpíadas é um quati-de-cauda-anelada

O simpático Nino será o mascote da 24ª da Surdolimpíadas. O animal, um quati-de-cauda-anelada, vive nas florestas da América do Sul, e é conhecido pela alta capacidade de adaptação. O chapéu que acompanha o mascote representa a cultura agrícola da região da Serra gaúcha, e simboliza os produtores de uva. O lenço no pescoço faz referência à cultura do Rio Grande do Sul e leva a cor azul pela representatividade desta junto à comunidade surda.

A escolha do mascote foi a partir de um concurso direcionado a todos os alunos de Ensino Médio das cidades de Caxias do Sul, Farroupilha e Flores da Cunha, e aos alunos surdos das cidades de Bento Gonçalves, Vila Maria, Torres, Vacaria, Canela, São Sebastião do Caí, Nova Prata, Guaporé, Bom Princípio, Antônio Prado e São Marcos.

Comentários

Open chat