Educação em tempos de pandemia: os desafios de alunos e professores

Professora de máscara durante a pandemia, dando aulas remotas em frente ao computador.

O Covid-19 alterou a vida de todos, entretanto a educação em tempos de pandemia foi uma das áreas mais afetadas com a crise.

A pandemia do coronavírus pegou o mundo inteiro de surpresa e adaptar-se a essa nova realidade não foi nada fácil, principalmente quando falamos em educação. Os desafios de alunos e professores durante a quarentena têm sido incontáveis e é sobre isso que iremos falar hoje.

Sabemos que a educação no Brasil enfrenta inúmeros obstáculos, isso mesmo antes da pandemia. Portanto, não era de se estranhar que ao fecharmos todas as escolas houvesse um grande impacto. Mas quais foram os principais os desafios enfrentados por alunos e professores?

Impactos na educação em tempos de pandemia

De acordo com o relatório do Banco Mundial, mais de 1,5 bilhões de alunos ficaram sem estudos presenciais em 160 países. Diante desse cenário, as escolas tiveram que se adaptar a nova realidade repentinamente e a tecnologia foi crucial nesse momento. 

O ensino à distância é fantástico e extremamente vantajoso no mundo atual, porém mudar abruptamente do ensino presencial para o ensino online, sem nenhum tipo de planejamento, trouxe inúmeros desafios e consequências. Confira alguns desses desafios abaixo.

Mulher estudando em tempos de pandemia, sentada na janela de casa em quarentena.

Principais desafios

Falta de planejamento:

Não houve nenhum tipo de planejamento para o ensino à distância que está sendo feito atualmente, justamente porque ninguém iria imaginar que passaríamos por algo assim, logo adaptar-se a essa nova realidade não tem sido nada fácil.

Por isso, professores e gestores escolares tiveram que se virar nos 30 para adaptar o currículo escolar presencial para o ensino online de uma hora para outra.

Dessa forma, muitas escolas passaram a utilizar ferramentas digitais como Zoom, Skype e Google Meet, sendo que muitos professores jamais tiveram contanto prévio com elas.

Ademais, os professores também precisaram aprender inclusive a gravar e editar vídeos e no meio disso tudo compreender a melhor maneira de transmitir seu conteúdo e manter a atenção de seus alunos.

Dificuldade de acesso a um computador e/ou internet:

Em segundo lugar, grande parte dos alunos brasileiros de escola pública não têm acesso à internet, o que prejudicou ainda mais seu aprendizado. Segundo dados da UNICEF , cerca de 4,8 milhões de crianças e adolescentes, de 9 a 17 anos não têm acesso à internet em casa. Isso, corresponde a cerca de 17% de todos os brasileiros nessa faixa etária.

Problemas de adaptação:

Se já era difícil antes, imagine agora. Não houve tempo hábil para criar um planejamento para essa nova forma de ensino em que nos vimos obrigados a criar, por isso tanto alunos, quanto pais e professores têm sofrido muito durante esse período de adaptação.

Portanto, é preciso ter paciência e entender tanto o lado dos alunos, quanto o lado das escolas, que também foram pegas de surpresa com uma pandemia mundial.

Estresse e ansiedade por conta do confinamento:

Segundo o periódico científico The New England Journal of Medicine, o número de pacientes com depressão e ansiedade deve aumentar globalmente após a quarentena devido à pandemia de Covid-19.

Além da adaptação com um novo método de ensino, há ainda o estresse gerado pelo confinamento e o distanciamento social durante a quarentena. Todos nós temos lidado diariamente com a ansiedade e o medo por conta desse momento de incerteza, o que também se configura como um enorme desafio para o ensino.

Qual a solução?

Certo, então deu para perceber que os desafios das escolas públicas e particulares do Brasil e do mundo são inúmeros, mas então qual a solução para lidar com tudo isso? Bem, em primeiro lugar é preciso ter muita calma nesse momento e saber que esta é uma situação necessária, mas temporária. Que tal ver esse momento como uma experiência nova com a qual podemos aprender algo novo?

Tenha paciência consigo mesmo e com a atual situação. Aprenda a ter empatia com seus colegas de trabalho, com seus filhos e ou com seus alunos. Não ignore seus sentimentos e tente sempre se colocar no lugar do outro.

Crie grupos de apoio nas redes sociais para pais, alunos e professores, compartilhe materiais interessantes e divertidos, procure sempre planejar seus conteúdos e priorizar atividades, teste seus equipamentos antes de aulas e reuniões onlines e principalmente: tenha paciência.

Apesar dessa não ser a situação ideal, tenha paciência com você, com sua família e com tudo o que está acontecendo no mundo. Tente relaxar e fazer atividades legais com sua família e de vez em quando se desligue das redes sociais e aproveite o momento presente, por mais difícil que isso seja.

Confira abaixo algumas dicas sobre a educação a distância:

Gostou? Então que tal aproveitar e compartilhar esse conteúdo com seus amigos? Siga-nos no Instagram!

Conheça nossos cursos de capacitação e atualização para professores, clique aqui.

Comentários