5 Dicas para criar atividades adaptadas para a Educação Especial

Criar atividades adaptadas é um desafio diário para os professores do Atendimento Educacional Especializado (AEE), mas também do ensino regular. Confira algumas Dicas de como adaptar as atividades dentro da Educação Especial.

  • Dica 1: Leia e Releia Novamente na Educação Especial

Você pode ler e reler o mesmo livro todos os dias da semana e a cada leitura definir um novo propósito. Como por exemplo: identificar a ideia principal, pensar em um novo título, ou até conectar o livro com experiências pessoais que cada aluno possui. Fazer a releitura dessa forma irá aprimorar a interpretação de texto, fluência, e até mesmo a independência. Você vai notar o aumento de confiança e engajamento a cada releitura.

  • Dica 2: Ensine Palavras Muito Utilizadas

Vocabulário é conhecimento! Isso quer dizer que quanto mais palavras você sabe, mais conceitos você entende. As palavras estudadas são aquelas que dão as crianças o poder de engajar inteiramente tanto na escola quanto em suas próprias vidas.

As palavras escolhidas devem ser as que são frequentemente encontradas nos livros utilizados pelos alunos, mas podem não fazer parte do vocabulário expressivo das crianças. Entenda e aprimore cada nova palavra pedindo que os alunos gravem vídeos usando-as! Além disso, de ênfase as palavras estudadas quando se deparar com elas em outros livros, atividades e conversas.

  • Dica 3: Forneça Repetição com Variedade

Todos precisamos de repetição quando estamos aprendendo coisas novas, mas para fixar mesmo é necessário mudar um pouco! Use variedades. Assim como citado na Dica 1, a importância da repetição, atividades como jogos de tabuleiro, brincadeiras e bingo fornecem maneiras repetitivas. Porém, variadas formas de interagir com os vocabulários e conceitos que são introduzidos em cada livro.

  • Dica 4: Exemplifique e Suporte a Comunicação

Décadas de pesquisa nos dizem que linguagem e letramento reforçam um ao outro. Sempre forneça acesso às pranchas de comunicação e exemplifique como elas podem ser usadas para comunicar pensamentos e ideias durante as aulas. A prancha principal é de grande ajuda para ensinar aos alunos como achar, usar, e ler o banco de palavras.

As pranchas de pequenas palavras ajudam os alunos a conectar seus pensamentos e ideias a linguagem. Enquanto as pranchas complementares e rápidas dão aos alunos acesso rápido e significativo as palavras de conteúdo e interações sociais diárias durante a escrita. Usando algumas ou todas essas pranchas em qualquer combinação, irá maximizar a comunicação e abrir uma janela crítica na forma de pensar.

  • Dica 5: Sucesso atrai mais sucesso!

Aprendizagem duradoura envolve uma mistura artística de experiências fáceis e desafiantes. Quando as coisas são muito fáceis os alunos perdem interesse e muito difíceis eles desistem. Cada nível de atividade deve oferecer uma mistura de fácil e desafiante no ponto certo.

Uma maneira fácil de construir em cima desse sucesso é encorajar os alunos a levar atividades para casa e compartilhar, ou brincarem de serem os professores. Além disso, não existe forma melhor de se aprender do que ensinando aos outros o que estamos aprendendo!

E aí? Achou que essas dicas facilitaram um pouco o processo de criar atividades dentro do âmbito da Educação Especial? Lembrando que não são regras, deve ser levado em consideração as particularidades de cada turma e aluno! 😉

Fonte: 5 Dicas para criar atividades adaptadas para a Educação Especial

Comentários